Entendendo e valorizando o capital intelectual
Lívia Amorim

Lívia Amorim

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Capital intelectual e a retenção de talentos

Você sabe o que faz com que algumas empresas estejam no ápice do sucesso e como se mantêm lá por tanto tempo enquanto outras não conseguem alcançar os seus objetivos? Várias podem ser as respostas para essa pergunta como inovação, processos inovadores como design thinking, entre outros aspectos. Essas são estratégias relevantes para sua empresa, sem sombra de dúvidas, mas hoje vamos falar da importância dos colaboradores da empresa. 

Esse parece ser um aspecto simples e que por isso, muitas empresas podem ignorar e correr o risco de incentivar o maior capital de que provêm: o capital intelectual.

A importância do capital intelectual

Para entender a importância do capital intelectual para as empresas, é preciso entender o contexto do mercado atual. Portanto, é necessário compreender o que é globalização.

É fato que todos sabemos que vivemos em uma era globalizada, mas segundo alguns estudiosos, a globalização teve início nas grandes navegações. Então, o que diferencia a globalização atualmente, sendo que ela já existe há séculos?

A velocidade com que as tecnologias surgiram aprimoraram grandes áreas da vida humana, como a saúde, a indústria e, principalmente, a comunicação. Algumas décadas atrás era impossível pensar em comunicação barata ao redor do globo, hoje é algo comum e necessário. Se você quiser entender melhor como a globalização mudou a comunicação entre as pessoas, veja esse artigo sobre a telefonia 4.o.

Estamos a todo momento da nossa vida pessoal, utilizando a internet e estabelecendo laços de conexão com diferentes pessoas. A informação circula praticamente de forma imediata. Isso alterou a forma como a sociedade se estrutura e não seria diferente com as empresas.

Antigamente, ter acesso à informação era considerado privilégio, portanto, quem tinha acesso a ela, automaticamente destacava-se e ganhava vantagem. Porém, isso já não é verdade nos dias de hoje. Todos têm acesso às mesmas informações. Então como as empresas fazem para se destacarem no mercado atualmente?

A resposta é: através do capital intelectual

O que é capital intelectual

Agora que você compreendeu o cenário do mercado atualmente, compreende que a inovação é essencial para a sustentabilidade do negócio. Ter pessoas brilhantes ao seu lado é uma das formas mais inteligentes de estar no caminho da inovação.

Isso porque entende-se como capital intelectual: É formado pelo desenvolvimento intelectual das pessoas que trabalham para uma determinada organização atrelado aos seus talentos.

Portanto, esse é um bem intangível, fruto de todas as mudanças tecnológicas citadas acima. Através do capital intelectual as empresas destacam-se e e capacitam-se. Por isso, é importante que elas aprendam a valorizar e reter os talentos.

Talentos

No momento da contratação, é imprescindível que a companhia saiba identificar os talentos e saiba aplicá-los. Existem diversos tipos de profissionais: pessoas que são incrivelmente esforçadas e que gostam de aprender, outros que têm características e aptidões específicas que podem ser benéficas para a empresa. Além disso, existem os profissionais que apresentam uma boa capacitação por causa da formação e experiência.

Talentos são aquelas pessoas que possuem todas essas características, principalmente o comprometimento e a vontade de aprender e contribuir. Mas é claro que a companhia deve saber que tipo de profissional busca e qual perfil será capaz de contribuir para o crescimento da empresa. No entanto, a contratação de talentos é garantia de sucesso, uma vez que denota alguém que sabe fazer algo com engenho, habilidade e sucesso.

Mas de nada vale a contratação se a empresa não sabe gerir os seus talentos.

Manutenção de talentos

A manutenção de talentos consiste em encontrar, atrair, valorizar e manter talentos. A valorização desses profissionais é essencial para que tanto empresa como colaborador aproveitem o máximo do capital intelectual. Por esse motivo, é preciso estar atento às aptidões de cada funcionário de forma que o trabalho realizado por ele seja valioso e prazeroso.

É papel dos Recursos Humanos definir de que forma as características daquele colaborador podem ser melhor aproveitadas. Muitas vezes, as empresas necessitam de suprir vagas imediatamente e acabam por fazer contratações que desviam a pessoa da sua área. É verdade que é possível descobrir novas aptidões, mas é preciso que o departamento de RH esteja atento quanto a satisfação do funcionário e se esse colaborador não poderia ser mais rentável em outra área de atuação. Isso evita turnover indesejado e aumenta a produtividade da empresa.

Valorização e retenção

O talento representa grande parte do capital intelectual de uma organização, pois profissionais talentosos levam a empresa ao destaque uma vez que agregam valor aos negócios. Por esse motivo, é tão importante a valorizá-los a fim de reter talentos.

Portanto, investir em talentos é investir em gestão do conhecimento e na geração de valor sustentável a longo prazo, garantindo a competitividade.

Como reter talentos?

Toda empresa que busca reter talentos e valorizar o capital intelectual deve gerar conhecimento. O conhecimento pode e deve ser partilhado, por isso “pode ser comparado a um sistema vivo que cresce e se modifica à medida que interage com o ambiente”.

Existem dois tipos de conhecimento:

  • Conhecimento tácito: é o conhecimento pessoal incorporado à experiência. Por isso, ele é mais difícil de ser articulado linguisticamente. Envolve aspectos como crenças, habilidades, emoções, etc.
  • Conhecimento explícito: é facilmente transmitido através de linguagens ou de línguas.

Ao transmitir conhecimento, a empresa deve completar uma “espiral do conhecimento” como mostra a imagem abaixo:

Transmissão do capital intelectual através da espital do conhecimento
 

Essa transmissão de conhecimento e incentivo ao aprendizado deve fazer parte da cultura da empresa para que seja encarado como algo natural e benéfico, propiciando um crescimento conjunto.

Além disso, muitas das dicas que demos no artigo de turnover são úteis para a retenção de talento como pesquisas e feedback, integração e gamificação.

A força de trabalho do seres humanos, ao longo da globalização, foi substituída pelas máquinas. Atualmente, diferentemente do que se pensava que poderia ocorrer, as pessoas são consideradas bens essenciais para as companhias.

Você aprendeu o conceito de capital intelectual e talento, além de descobrir como geri-los para mantê-los na companhia. Compartilhe esse artigo nas suas redes sociais e ajude as pessoas a entenderem esses conceitos também!

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn