Nvoip - Melhor VoIP do Brasil
  • English
planejamento criativo com gamestorming
Livia Amorim

Livia Amorim

Gamestorming: experimentando e jogando

Gamestorming: experimentando e jogando
5 (100%) 1 voto

Quantas vezes você já passou pela desagradável situação de ir à uma reunião que, além de massante, foi improdutiva? Tenho certeza que todos, pelo menos uma vez, já tiveram essa experiência. E não importa quantas reuniões se façam, se continuarem sendo feitas da mesma maneira, dificilmente trarão o resultado esperado. Portanto, se você trabalha com  criatividade e precisa de reuniões produtivas, apresentamos o Gamestorming.

Se você é uma pessoa que procura por soluções alternativas, então vamos apresentar a você uma nova forma de obter resultados criativos em reuniões que encantam os colaboradores.

O que é Gamestorming?

A palavra gamestorming refere-se a jogos. A palavra jogo vem do latim “jocus” que significa brincadeira, divertimento, gracejo. Portanto, jogo é uma atividade composta por um sistema de regras que levam um indivíduo ou um conjunto de indivíduos a serem considerados vencedores.

O gamestorming, no entanto, surge com o objetivo de cumprir um propósito, no qual todos serão vencedores. Afinal, através desse método, será possível chegar a conclusões criativas e inovadoras de forma que o processo seja lúdico e estimulante. Assim, com certeza, até mesmo o mais desanimados dos seus colegas de trabalho ficará ansioso para essa reunião.

Gamestorming foi primeiramente explorado no livro de Dave Gray, Sunni Brown e James Macanufo no livro “Gamestorming: jogos corporativos para mudar, inovar e quebrar regras”. Quer descobrir como implementar a inovação na geração de ideias? Então vamos conhecer os fundamentos do gamestorming.

Fundamentos do Gamestorming

Os autores do livro dizem que todo jogo é um mundo que envolve processos e passa por 5 passos: Imaginar o mundo, criar o mundo, abrir o mundo, explorar o mundo e fechar o mundo. Sendo assim, os dois primeiros passos estão relacionado com a criação e o design do jogo, enquanto as três últimas etapas tratam do jogo em si. O mundo é fechado quando os objetivos são alcançados.

Sendo assim, Gamestorming trata da criação de mundos de jogos especificamente para explorar e examinar os desafios dos negócios.

Apesar de ser uma metodologia com o objetivo de quebrar regras, como é dito no nome do livro, existem alguns fundamentos que baseiam essa ideia. Esses fundamentos têm o objetivo de ajudar as pessoas a criarem reuniões em formatos de jogos. De forma a criar uma corrente de objetivos que interligam o ponto de partida ao de chegada.

Assim, todo encontro deve conter:

1 Abertura e Fechamento

A abertura é também conhecida como divergência. É o momento de criar um ambiente confortável onde as pessoas se sintam a vontade para imaginar e criar soluções que até então não estavam em pauta em suas mentes. O fechamento, por sua vez, é o momento de convergir a fim de que todas as possibilidades se transformem em escolhas e decisões. Atente-se para fechar todo tópico que foi aberto.

2 Fazer Fogo

Essa etapa consiste na técnica de incitar a imaginação através de perguntas ou frases que requerem complemento. Assim, é possível direcionar as ideias e as criações na direção mais adequada.

3 Artefatos

Porém, com tantas ideias fluindo, como acompanhar a fruição? É para isso que os artefatos existem. Eles são objetos e ferramentas que representam ideias e processos. Podem variar desde post-its, um pedaço de papel, um desenho ou qualquer outro objeto que represente a ideia em questão. Como os artefatos são objetos que fazem parte do ambiente, facilitam a compreensão e ajudam a acompanhar o processo todo.

4 Geração de Enredos

A geração de enredos consiste em contar histórias nos quais os artefatos fazem parte. Portanto, quanto mais artefatos, mais possibilidades para criar enredos, de forma que mais tarde podem ser estreitados de acordo com a história. Essa etapa pode ser feita através de uma estratégia chamada Post-Up. Nesse momento, cada colaborador escreve em um post-it uma resposta em relação a um fire starter (fazer fogo). Que pode ser uma pergunta, por exemplo.

Imaginando um simples exemplo, podemos imaginar que faremos compras em um supermercado e precisamos de uma lista. Mas, conforme as pessoas colocam cada item em um post-it separado, cria-se um maior espectro de ideias que podem ser moldadas e ajustadas dentro da lista, de acordo com a prioridade, por exemplo.

5 Espaço significativo

A demarcação de um espaço é imprescindível para a delimitação do jogo, de forma dar forma e significado às ideias. O espaço significativo consiste nos parâmetros ou, podemos dizer, nas regras do jogo. Assim, seleciona-se as ideias mais adequadas que mais se enquadram nesse espaço significativo.

Essa delimitação pode ser feita em um quadro, onde as pessoas decidem agrupar em colunas os elementos que parecem pertencer a uma mesma classe. No entanto, é importante não nomear previamente essas colunas, afinal isso pode delimitar e restringir eventuais ideias. Ao mesmo tempo, é importante instigar as pessoas a eliminar redundâncias ou repetições. O número recomendado de colunas é a partir de três, mas caso seja percebido a necessidade de mais classes, as mesmas podem ser criadas sem nenhum empecilho.

6 Criação de Esboço e Modelo

Criar esboços pode ser interessante para resumir em uma simples imagem tudo o que foi colocado em palavras. Assim, um bom esboço conterá apenas as informações relevantes para explicitar a ideia em questão, buscando ao máximo produzi-los rapidamente. Um esboço pode ou não ser melhor trabalhado em um modelo, posteriormente.

7 Casualidade, Inversão e Remodelagem

Casualidade, inversão e remodelagem podem ser o caminho certo para encontrar uma solução até então obscura. A partir do acaso, é possível enxergar novos padrões e assim, novas possibilidades. Nós, seres humanos, adoramos padrões. Mas, às vezes, quando encontramos um é difícil deixá-lo de lado para tentar enxergar outras possibilidades. Por isso, essa é uma habilidade que deve ser trabalha naquele que for conduzir a reunião.

8 Improvisação

Alinhado ao fundamento citado acima, podemos falar da improvisação. Com novas soluções e novos pontos de vista, surge a necessidade de improvisar. A improvisação pode ocorrer durante qualquer parte do processo. As ideias devem fluir em espontaneidade. Por isso, muitas vezes ter um gravador ou uma câmera ajuda a registrar as ideias para que possam ser melhor resgatadas posteriormente. Esse exercício ajuda no dia a dia a improvisar saídas para problemas inesperados.

9 Seleção

A seleção é parte do processo de focar e direcionar todas as ideias em uma atitude relevante e eficiente. Esse é o primeiro passo para o fechamento, citado como um dos primeiros fundamentos. É importante estar atento para não querer abraçar o mundo. As decisões devem ser condizentes com as capacidades atuais da empresa. E no caso de divergências o voto é sempre uma boa alternativa.

10 Experimentar fazer algo novo

Buscar sempre experimentar algo novo em qualquer gamestorming, é o que os criadores desses fundamentos, nos indicam. De forma que possamos sempre entrar em contato com novas possibilidade e novas soluções. Podemos começar apenas implementando o gamestorming nas nossas reuniões, como uma forma de descentralizar as tomadas de decisões e contar com a participação de todos os colaboradores da empresa.

Então, você gostou de descobrir mais sobre Gamestorming? Então que tal conhecer a gamificação e como os jogos podem ajudar também na motivação da sua equipe?