Home office permanente: verdade ou mito?

home office

A dinâmica de trabalho em formato de home office é uma tendência entre empresas. Negócios de vários segmentos estão apostando nessa forma de trabalho com os seus colaboradores. Quer saber porquê o home office permanente pode virar o carro chefe das empresas? Continue a leitura do texto.

A mudança dos escritórios para as casas já era realidade para algumas empresas, mas muitas vivenciaram essa transformação a partir do início da pandemia do novo coronavírus.

Depois de um ano, as empresas já conseguem avaliar se essa experiência foi boa e se o home office permanente é viável ou não.

Agora com mais referências, é hora de entender se esse é um modelo de trabalho atende às necessidades da sua empresa.

Se você está curioso sobre as empresas que aderiram ao home office permanente e quais foram as justificativas que levaram a isso, o artigo de hoje foi feito para você.

Então vamos lá?

O que é o home office permanente?

O home office é um termo inglês que significa escritório em casa. Mas, de forma mais geral, esse é um regime de trabalho realizado de maneira remota pelos seus colaboradores.

Assim, a ideia de teletrabalho parece corresponder melhor ao sentido amplo dessa nova dinâmica do mercado. Não importa se o seu funcionário está em um coworking ou em casa; se o formato de operação é o home office permanente ou híbrido.

O espaço físico já não é o mais importante, mas sim o combinado entre a sua empresa e o seus colaboradores.

As empresas tiveram que se adaptar a esse modelo para conseguir manter as suas atividades em 2020 em razão da pandemia.

Mas há uma tendência para que esse formato de trabalho se mantenha.

Segundo a pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV), 30% da força de trabalho para os próximos anos será executada de forma remota.

O estudo demonstrou que esse cenário é mais popular entre os jovens, pois se moldam melhor à flexibilidade da rotina de trabalho.

Algumas empresas, sobretudo do segmento da tecnologia, afirmaram que manterão esse regime de trabalho parcial ou total. São exemplos dessa mudança: a gigante Microsoft e a TopDesk na área de TI.

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, afirmou que 50% dos seus colaboradores ficarão em home office permanente, pelo menos, nos próximos cinco anos.

Justificando essa decisão, Zuckerberg apontou como motivos determinantes a ideia de satisfazer os desejos dos funcionários e alcançar uma maior prosperidade econômica.

Outras empresas entraram pro time do home office permanente, são bons exemplos as multinacionais Ambev e Johnson & Johnson.

Você deve gostar também:  O que é chat?

Esse modelo remoto também faz sucesso entre empreendimentos mais diversos como o Slack, de comunicação empresarial, e a startup brasileira de recrutamento GeekHunter.

Benefícios do home office permanente

Esse novo “pensamento” demonstra uma mudança significativa na cultura organizacional das empresas.

Apontando, no sentido mais amplo, para uma flexibilidade na carga horária e para outras formas de acompanhar a produtividade dos colaboradores.

Mas não pense que essa é uma decisão unilateral. Ter a sua equipe trabalhando de forma remota também traz benefícios para a empresa.

Então, quando os empreendedores optam por esse formato também contam com algumas vantagens.

Por exemplo, a redução de custos. Da conta de luz à locação de um espaço, o home office garante que você tenha uma economia considerável registrada em sua planilha de custos no fim do mês. Principalmente se você adotar esse formato como permanente.

Já sob a visão da sua equipe, o trabalho remoto pode ter impactos na qualidade de vida. O tempo de deslocamento até o trabalho já não será uma preocupação para os seus colaboradores.

Outro aspecto apontado como vantagem para o seu colaborador é a maior autonomia. Mas, como nem tudo são flores, é preciso que ele desenvolva a gestão de tempo pessoal. De forma a criar uma rotina dentro de casa para cumprir com as suas demandas de trabalho.

Entre prós e contras, o principal é estruturar o fluxo de trabalho, de uma maneira positiva para o empregador e seus funcionários.

Agora vamos falar sobre alguns dos motivos que levaram as empresas a escolherem manter o home office.

Telefonia virtual

Razões para a manutenção do trabalho remoto

Não existe receita de bolo. Cada empresa vai adotar uma estratégia para fazer com que o trabalho remoto funcione em perfeita harmonia.

Mas de forma geral, podemos citar algumas razões que motivam empresários a seguirem com o home office. Listamos algumas delas abaixo.

1 – Descentralização

Encontrar profissionais que realmente se encaixem nas vagas abertas da sua empresa é um desafio para a sua equipe de RH? É comum que essa resposta seja ‘sim’.

Esse fato pode gerar prejuízos à sua empresa. Por exemplo, caso você contrate alguém que não tenha os requisitos de um cargo, pode acabar prejudicando o funcionamento de um departamento, atrasando processos e etc.

E, nessa situação, as barreiras geográficas fazem toda a diferença. Sobretudo na hora de complementar o seu quadro de funcionários.

Por vezes, empresas do interior não encontram profissionais com o perfil que procuram. Com o trabalho remoto, esse não é mais um problema para o seu negócio.

O home office permite que você “descentralize”, ou seja, conte com uma equipe plural. Com pessoas de várias regiões e, às vezes, até mesmo de países diferentes.

Você deve gostar também:  Cold Calling 2.0: conheça a técnica

Esse formato de trabalho aumenta as suas possibilidades de recrutamento e seleção de profissionais. Podendo trazer benefícios para a sua empresa e produtos.

2 – Aumento na produtividade

A produtividade parece algo complicado de avaliar em um trabalho home office. Mas não é bem assim. Pesquisas indicam que o trabalho remoto pode aumentar a produção dos seus colaboradores em até 13%.

E isso ocorre por diversos fatores. Um deles é o “conforto” do lar, ou seja, fora do escritório o seu funcionário não corre o risco de se distrair com barulhos externos de outras pessoas da empresa e nem com o barulho de várias ligações chegando aos ramais.

Lógico que isso não quer dizer que ele não possa se distrair durante o home office. Mas em um espaço onde ele trabalha sozinho, é menos provável que ele perca o foco várias vezes durante seu horário.

A confiança é outro aspecto que ajuda o seu colaborador a produzir mais e melhor.

Então, se o seu time passa credibilidade quanto à entrega de tarefas e cumpre com responsabilidades dentro do prazo, você cria um relacionamento de confiança no desenvolvimento dele em home office.

Sendo assim, ele também pode se sentir mais motivado sabendo que o gestor confia no trabalho que ele está desempenhando.

3 – Otimização das tarefas

Ter flexibilidade na jornada de trabalho para algumas empresas pressupõe a mudança na forma de avaliar a produtividade da equipe.

A análise válida deixa de ser a contagem das “horas trabalhadas” e passa para o check-list.

Assim, o que vale é que o seu time cumpra com os prazos estabelecidos das tarefas, não necessariamente com um horário. Essa liberdade depositada nas pessoas que compõe a sua empresa, faz com que você otimize as tarefas.

Hoje em dia, softwares, sites e plataformas podem te ajudar a acompanhar os seus funcionários no modelo remoto.

Além das chamadas de vídeo (que agora já são tão comuns ao nosso cotidiano), soluções de agendamento e fluxo de trabalho vão te auxiliar no controle do check-list de atividades.

Considerações

Agora você já sabe alguns dos motivos das empresas optarem pelo modelo de home office permanente. Sem dúvida a tecnologia faz toda a diferença para a operacionalização desse tipo de trabalho.

Para a comunicação interna e externa, a sua empresa precisa contar com uma telefonia que corresponda às necessidades de deslocamento da sua equipe.

Nesse sentido, a telefonia em nuvem vai te ajudar.

Espero que você tenha curtido esse conteúdo, continue acompanhando a Nvoip nas redes sociais e aqui no Blog. Até a próxima.

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com