Vendas: 0800 878 3122 | Suporte:
  • English

Marketplace no Brasil: como criar seu shopping virtual

marketplace

Marcas como Amazon, Americanas, Mercado Livre, Magazine Luiza e AliExpress têm ganhado espaço na vida dos consumidores brasileiros. Em comum, elas possuem a seguinte característica: todas são exemplos de marketplace no Brasil

Além disso, segundo o ranking da E-commerce Brasil, elas foram o top 5 no número de pedidos no país. O dado mostra que o marketplace veio com força para contribuir com o crescimento do e-commerce.

Neste artigo, vamos falar de diversos pontos sobre marketplace: desde o que é, passando por quais são os tipos de marketplace até como você pode criar o seu. Venha nessa imersão de conhecimento, tenho certeza que não vai se arrepender.

O que é marketplace?

Marketplace é um local virtual que faz a ponte entre pessoas e suas necessidades. Ou seja, é como se fosse um shopping com vários produtos e serviços à disposição dos clientes. 

Para fixar na sua mente, imagine a seguinte situação: você tem uma confraternização do trabalho para ir, olha para o seu armário e sente que não tem uma roupa adequada. 

Há duas possibilidades: se deslocar até uma loja física para comprar ou pegar o celular e buscar em um aplicativo/site.

Optando pela primeira alternativa, você, provavelmente, vai parar em um shopping, pois há uma maior variedade de lojas e de produtos.

Já indo na segunda alternativa, você escolherá entrar em um aplicativo ou site de uma empresa conhecida, que tenha várias opções. Assim, você acabará em um marketplace, que pode ter o apelido de “ shopping virtual”, pois a dinâmica é bem parecida.

Tipos de marketplaces

Para cada empreendedor, há um estilo de marketplace que melhor atende o seu negócio. Os principais tipos de marketplaces são serviços e produtos. Você vai aprender, por meio de exemplos, o que é cada um.

Marketplace de serviço

Esse tipo serve para conectar prestadores de serviços (empresas ou profissionais autônomos) com pessoas que buscam por seus serviços. Um bom exemplo disso é o Uber, que oferece diferentes motoristas para levar as pessoas até seus destinos.

Marketplace de produto

Esse tipo consiste em ofertar produtos físicos de diferentes lojistas para as pessoas que entram na plataforma. Um bom exemplo disso é a Amazon, que vende produtos de diferentes categorias, como livros, eletrônicos, etc.

Marketplace no Brasil e a pandemia

Nos últimos anos, passamos por diversas mudanças, econômicas, sociais e culturais, devido à pandemia. Por exemplo, começamos a fazer compras de supermercado online, algo que não imaginaríamos em 2018. 

Um dado que reforça essa  mudança de comportamento de compra é o aumento de 68% no faturamento do e-commerce brasileiro entre os anos de 2019 e 2020, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico.

A pandemia fez as empresas enxergarem que era necessário ter uma boa infraestrutura online, pois só assim conseguiriam continuar vendendo, já que as pessoas estavam com medo e também com restrições para circular pelas ruas.

Em resumo, o lema das empresas poderia ser o seguinte: fique on para sua empresa não ficar off.

Diferença entre marketplace e loja virtual

Como já falamos anteriormente, em um marketplace há várias lojas à disposição das pessoas. E, essa é a principal diferença, pois na loja virtual, há apenas uma única marca vendendo seus produtos ou serviços.

Diante disso, a seguinte dúvida pode estar passando na sua cabeça: qual seria a melhor forma de empreender, vender em marketplaces ou criar uma loja virtual? Para te ajudar, confira abaixo os prós e contras de cada modelo de negócios.

Prós e contras de vender em marketplaces

Prós: maior visibilidade, por conta do investimento que é feito pelos marketplaces em marketing para promover os produtos/serviços. E, além disso, é necessário um menor investimento, pois não é preciso criar tudo do zero. Já que você conta com a infraestrutura do marketplace (logística, SAC, marketing,etc).

Você deve gostar também:  12 principais KPIs de telefonia

Contras: branding enfraquecido. Isso porque as pessoas não vão comprar com você pela sua marca, mas sim pelo nome e credibilidade do marketplace. A concorrência também é mais elevada. Isso acontece, pois vão existir outros empreendedores vendendo a mesma coisa que você no marketplace.

Outro contra são as taxas do marketplace, que podem chegar até 20% em cima do valor do produto vendido. Porém, esse ponto pode ser transformado em algo positivo para você.

Prós e contras de abrir uma loja virtual

Prós: branding fortalecido, pois a loja virtual possibilita que você trabalhe melhor a imagem da sua marca. Assim, investindo em uma boa comunicação, você conseguirá se destacar dos seus concorrentes de forma mais fácil, já que não estará disputando atenção com outros no mesmo espaço. Além disso, há maior margem de lucro, porque não é necessário repassar nenhum valor da venda para terceiros.

Contras: maior investimento em marketing, pois você precisará atrair as pessoas até a sua loja, para comprar seus produtos. Conforme falamos, isso não é necessário em um marketplace, que já possui um público estabelecido. Além disso, existe a necessidade de maior planejamento, pois tudo dependerá de você, desde atrair pessoas até a entrega dos produtos.

Top 5 maiores marketplaces no Brasil

No mês de março de 2022, tivemos no ranking da E-commerce Brasil os seguintes marketplaces no topo dos pedidos: Mercado Livre, Amazon, Americanas, Magazine Luiza e AliExpress. Conheça um pouco mais sobre cada uma dessas empresas.

1- Mercado Livre

É uma empresa de origem Argentina, que atua no segmento da tecnologia com foco em  democratizar o e-commerce. Ou seja, o Mercado Livre coloca seus recursos à disposição para que qualquer pessoa consiga ter um negócio digital de sucesso.

Atualmente, é o maior marketplace da América Latina e tem em seu catálogo mais de 60 milhões de ofertas de produtos e serviços em tempo real.

O site do Mercado Livre registra 6 mil  buscas e 9 vendas por segundo, sendo  que a maior parte de produtos, mais exatamente 90% vendidos, são novos. Hoje, no Brasil, temos mais de 111 mil pessoas vivendo de renda única ou principal, vindo do Mercado Livre.

2- Amazon

É uma empresa de origem estadunidense, atua no segmento de tecnologia em quatro frentes: marketplace, computação em nuvem, inteligência artificial e streaming.

Hoje, ela é o maior marketplace do mundo com um valor de mercado de mais de 8 trilhões de reais. Para você ter uma noção melhor de quão gigante é esse número, se a Amazon fosse um país, ela seria mais rica que a maioria dos países do globo, incluindo nesta lista o Brasil.

No Brasil, a Amazon vem ganhando cada vez mais força e está sempre figurando entre os principais marketplaces do país.

3- Americanas Marketplace

Se você já acompanha o mercado de marketplace há um tempo, conheceu essa empresa por outro nome: B2W. Foi somente em setembro do ano passado que tivemos a mudança de nome da empresa. Dentro do guarda-chuva de empresas da Americanas Marketplace temos a Americanas, Submarino e Shoptime.

Tudo começou em 2006 com a fusão das marcas Americanas e Submarino, dando origem à B2W Marketplace. De lá para cá, incluíram novas marcas: Shoptime e Americanas Empresas. Hoje, tem mais de 49 milhões de clientes ativos e mais de 1 bilhão de visitas, incluindo todos os sites da empresa.

4- Magazine Luiza

Essa empresa tem origem brasileira, mais especificamente, interior de São Paulo, na cidade de Franca. Em 2000, lançou o site do e-commerce e ano passado atingiu o maior marketshare da sua história.

O ano de 2021 foi de aquisições para a Magazine Luiza, ou “Magalu”, para os íntimos. Empresas como VipCommerce, Jovem Nerd, Kabum foram algumas das aquisições.

Além disso, ainda em 2021 foram captados cerca de 4 bilhões de reais com o objetivo de acelerar ainda mais os investimentos na empresa.

5- AliExpress

A AliExpress tem origem chinesa e faz parte do Grupo Alibaba, um conglomerado focado em serviços de varejo, pagamentos online,e-commerce e serviços de nuvem online.

Esse marketplace tem trazido várias datas comemorativas para o e-commerce brasileiro, entre elas, podemos citar o 11.11, conhecido como dia do solteiro. A data, em 2021, cresceu 72% no mundo, comparado a 2020, chegando a um faturamento de U$$ 85 bilhões.

Por que criar seu próprio marketplace?

Em algum momento já deve ter passado na sua cabeça: o que é melhor, ter meu próprio marketplace ou vender em marketplaces que já existem?

Você deve gostar também:  Equipe de SDR: aumente sua produtividade com a telefonia em nuvem

Depende! 

Alguns fatores que você precisa levar em consideração, antes de tomar essa decisão:

  • Experiência: se estiver iniciando no digital, o melhor é optar por vender em marketplaces já existentes. Mas caso tenha uma boa vivência no mercado, pode ser a hora de abrir o seu próprio negócio, pois já terá o conhecimento base.
  • Rede de contatos (networking): se você tem bons contatos no seu nicho de mercado,  criar seu próprio marketplace é uma excelente. Porque dessa forma você, empreendedor(a), já teria em mãos uma boa base de possíveis vendedores para se cadastrarem na sua plataforma de marketplace.
  • Rentabilidade: criar um marketplace é um negócio escalável com alto potencial de faturamento. Afinal, empresas gigantes de sucesso como Uber, Amazon e Americanas usam esse modelo de negócios. Mas, justamente por isso que lançar seu próprio shopping virtual exige um investimento inicial mais alto do que abrir uma simples loja virtual.

Resumindo, se você é um empreendedor iniciante e quer apenas aumentar as suas vendas, abrir uma loja virtual e vender em marketplaces já existentes podem ser boas opções. Mas, se você já tem certa experiência no empreendedorismo e deseja criar um negócio escalável, com alto potencial de faturamento, o ideal é criar seu próprio marketplace ou shopping online.

Como criar um marketplace de sucesso

Quer criar o seu próprio marketplace, mas não sabe por onde começar? Confira dicas para te ajudar na sua jornada como empreendedor(a) digital.

Escolha um nicho de mercado

Falar para um grupo é muito mais fácil do que falar com uma multidão. Para começar, recomendamos que invista em um único nicho de mercado, pois será mais fácil criar todo o seu planejamento se tiver um único foco.

Crie as personas do seu negócio

A persona é a representação da pessoa ideal para o seu negócio. No caso de um marketplace, há dois tipos de persona: o vendedor e o cliente, e ambos são fundamentais para ter um negócio de sucesso.

Para te ajudar a desenhar a sua persona, existe a ferramenta do mapa da empatia, que vai servir para levantar informações como: o que ouve, fala, faz, pensa, dores e sonhos das pessoas com quem você deseja falar.

Desenhe o modelo de negócios

Esse documento vai servir como guia de todas as ações que precisará tomar no seu negócio. No modelo de negócios, deve haver as seguintes informações:

  • Parceiros-chave
  • Atividades principais
  • Recursos essenciais
  • Proposta de valor
  • Canais de venda
  • Relacionamento com os clientes
  • Segmento dos clientes
  • Fonte dos custos e das receitas

Contrate uma plataforma de marketplace white label

Escolha recursos tecnológicos que jogam ao seu favor. Se você está criando um marketplace, busque empresas que oferecem plataformas prontas com funcionalidades personalizáveis, pois assim começará operar mais rapidamente. Um exemplo de plataforma de marketplace assim é o Ideia no Ar.

Crie um plano de marketing

É fundamental ter um bom planejamento de marketing, pois é ele que atrai as pessoas para o seu negócio, sejam elas vendedores ou clientes. De nada adianta ter uma boa plataforma de marketplace, se não tem ninguém comprando nela. 

Pessoas são fundamentais para movimentar o seu negócio. Por isso, para manter sempre um público com você, invista tempo e dinheiro em ações de marketing.

Cuide da operação e faça ajustes

Esteja à frente do seu negócio. Ninguém dará mais valor a ele do que você mesmo. Com isso em mente, fica claro que é fundamental estar sempre presente no dia a dia da empresa.

Você, empreendedor(a), deve dar o exemplo, pois é assim que seus colaboradores reconhecem o valor do negócio.

Além disso, somente vivendo 24 horas a operação do negócio você conseguirá ver o que está indo bem ou não, para fazer os ajustes necessários e colocar a empresa de volta nos trilhos rumo ao sucesso.

Conclusão

Agora que você já conhece os maiores shoppings virtuais e já viu o que é preciso fazer para criar o seu marketplace no Brasil, recomendamos que inicie agora mesmo a construção do seu negócio digital.

Artigo produzido por Beatriz Santos, redatora no Idea no Ar – Empresa de tecnologia para construção de Marketplaces.

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com